Galeria de fotos

Publicado em 26/07/2017

0

Corrida é a nova paixão dos que buscam saúde e bem estar

Em todo lugar tem alguém correndo. Comece a notar pelas ruas, parques ou pistas de caminhada. A prática deste esporte, considerado um dos mais democráticos do mundo, tem aumentado diariamente. E quem começa, vicia. São inúmeros os motivos que levam as pessoas a correr: alguns querem emagrecer, outros buscam condicionamento e há também quem inicia por recomendação médica. Enfim, razões e resultados que justificam a paixão pela corrida não faltam e incentivam a busca por assessorias esportivas e grupos de corrida em toda região.

Em Porto Feliz, a educadora física Renata Mota, 42 anos, coordena uma turma de mais de 20 mulheres. Elas correm todos os sábados pela manhã e a prática esportiva mudou a vida de muitas delas, inclusive da própria Renata. “Comecei a correr para perder a barriga. Emagrecer era o meu foco. Na sequência, parei de fumar, pois percebia que correndo de 20 a 30 minutos por dia, eu não tinha vontade de fumar. Então, mudei o foco e comecei a correr para não fumar mais. E deu certo”, relata.

Diante do bom resultado, Renata buscou mais conhecimento e se especializou em corridas de rua. Foi assim que ela resolveu montar um grupo especial para a prática esportiva. Inicialmente a ideia era atrair homens e mulheres, mas acabou virando um grupo feminino. A educadora física faz um cronograma para cada aluna praticar durante a semana e aos sábados elas se reúnem e correm juntas. Normalmente a saída do grupo é às 7h, das proximidades do Corpo de Bombeiros, mas o local costuma variar.

A gestora hospitalar Cláudia Maria de Oliveira Motta, 47, começou a correr no grupo da Renata há menos de um ano e já obteve resultados positivos. O principal deles foi a redução no consumo de remédios. “A corrida mudou completamente a minha vida, eu tomava por volta de cinco medicações diariamente (para o controle de pressão alta, enxaqueca, pré-diabetes, colesterol e reposição hormonal). Hoje não tomo mais nenhuma. Faço o acompanhamento médico, mas está tudo regularizado”, conta Cláudia que também ressalta a importância social da atividade. “É um esporte em que normalmente estamos em grupo, fortalecendo muito nossas amizades e conquistando novos amigos”, exemplifica.

Em Itu
Em Itu, a corrida de rua também tem muitos adeptos. O professor de educação física Alessandro Beltrame escolheu a profissão pelo gosto de correr e montou o primeiro grupo de corrida da cidade há seis anos. Ele conta que começou a fazer faculdade de Administração e percebeu que não era bem aquilo que queria. “Eu não sabia o que poderia fazer. Quando criança eu sempre gostei de corrida e pensei em fazer Educação Física. Comecei a pesquisar o mercado, notei que Itu não tinha assessorias esportivas e eu resolvi entrar nesta área”, relata.

Alessandro, como a maioria dos seus alunos, começou a correr para perder peso. “Eu era gordinho, queria perder peso e depois manter. E a corrida é ótima para isso. Cada um começa por um motivo, seja para emagrecer, por performance, porque algum amigo disse que é legal ou porque acha bonito. O legal é que todos pegam gosto”, conta.
Segundo o professor, a corrida traz muitos benefícios à vida dos praticantes. “Melhora o índice de glicose do corpo, faz bem para o coração e para o pulmão, além de controlar o peso”, ressalta.

Quem sentiu os benefícios bem de perto foi o médico Sérgio Falcão Rollo Neto, 34. Com hábitos sedentários e muito acima do peso ideal, o médico teve um quadro hipertensivo durante o trabalho e assustou. Foi o que faltava para que ele decidisse mudar de vida. Incentivado pela esposa, ele começou a correr em 2013. “Inicialmente eu pensei em operar o estômago. Quando falei isso para a minha mulher, ela disse que eu estava maluco e mandou eu fazer alguma coisa. Foi nesse momento que comecei a correr”, explica.

A corrida acabou despertando nele a vontade de experimentar outras modalidades e adotar de forma regular a prática esportiva. “Voltei a surfar, comecei a fazer triathlon, ciclismo e mountain bike. A corrida não mudou só a minha vida, mas também a da minha família e dos meus pacientes. Abri minha cabeça e comecei a estudar sobre o assunto”, diz. “Antes eu trabalhava com medicina intensiva, só a parte crítica, a de pacientes que não tinham mais solução. Percebi que aquele paciente que estava na UTI, se tivesse comido certo e feito atividades físicas diárias, poderia ter um rumo diferente. Então me especializei em medicina esportiva e hoje ajudo muitas pessoas a entrarem corretamente no esporte”, continua.

 

SUCESSO NA INTERNET

Tomar um susto e experimentar uma internação médica costuma ser mesmo a gota d’água para quem fica adiando a mudança de vida. O jornalista Mayco Geretti, 38, foi parar na UTI em 2012, depois de sofrer uma arritmia cardíaca. Foi ali que resolveu fazer tudo diferente. “Quase morri. Eu já tinha feito também cirurgia por conta de um cálculo renal e percebi que precisava mudar tudo”, lembra. “Resolvi me alimentar melhor, pois antes eu comia muita porcaria e fast food. Também comecei a tomar muita água e diminui a cerveja. Eu era cervejeiro mesmo, tomava cerveja seis dias por semana. Além disso, percebi que precisava fazer exercícios mas nunca gostei de academia. Então, resolvi tentar a corrida, comecei apostando uma caixa de cerveja com um amigo e não parei mais”, afirma.

As mudanças de hábitos fizeram com que o jornalista perdesse mais de 40 quilos: foi dos 121 quilos para 80. Os bons resultados e a paixão descoberta na corrida despertaram nele o desejo de compartilhar essas experiências com outras pessoas, incentivando a prática esportiva. Foi assim que surgiu o Canal Corredores na internet. “Criei como um hobby mesmo, usando uma linguagem bem popular e bom humor. A ideia era contar minhas experiências para os amigos, nada grande. Mas o canal foi crescendo dia a dia, sem divulgação, por indicação de amigos, mesmo, e hoje eu tenho mais de 16 mil seguidores”, conta Geretti, apontando que viu ali a importância de continuar fazendo vídeos e servindo de inspiração para as pessoas. “Isso para mim é gratificante, é o que mais importa”, finaliza.

No Canal Corredores o papo é sempre sobre corrida. Mas a abordagem nada convencional em vídeos bem humorados (alguns hilários), que divertem e ao mesmo tempo trazem dicas bem bacanas, valem o clique mesmo para quem ainda não faz parte deste universo. O acesso é no YouTube, basta digitar “Canal Corredores” na busca. Também tem página no Facebook: www.facebook.com/canalcorredoresbrasil. Mas aviso: ninguém fica imune! O desafio é resistir e não sair correndo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo ↑